Palace Hotel - Caxambu

domingo, 26 de junho de 2016

Vamos tirar Caxambu do buraco!

Vamos tirar Caxambu do buraco! 

Aplaudimos essa iniciativa da APAC: MAIS CASINHAS PRONTAS PARA SEREM DISTRIBUÍDAS PELA CIDADE

Aplaudimos essa iniciativa da APAC:
 MAIS CASINHAS PRONTAS PARA SEREM DISTRIBUÍDAS PELA CIDADE





SE VOCÊ SABE DE ALGUM CÃOZINHO QUE VIVE NAS RUAS, COSTUMA DORMIR EM ALGUM LOCAL COM FREQUÊNCIA, NOS AVISE QUE VAMOS TENTAR COLOCAR O MÁXIMO DE CASINHAS POSSÍVEIS NA CIDADE!!!
CLARO QUE NÃO CONSEGUIREMOS COLOCAR PARA TODOS E NEM CONSEGUIREMOS FAZER MUITAS AO MESMO TEMPO, PRIMEIRO POR QUE TEREMOS QUE ARRUMAR OS MATERIAIS E TAMBÉM POR NÃO TER MUITOS VOLUNTÁRIOS, MAS VAMOS FAZER O MAXIMO POSSÍVEL!!!!



OLHEM AMIGOS, AS CASINHAS ESQUENTANDO OS BICHINHOS DE RUA... MUITO GRATIFICANTE!!!!

Compartilhado por 

quarta-feira, 22 de junho de 2016

EXTRATO DE PUBLICAÇÃO DE EDITAL/CHAMADA PÚBLICA

Extrato de Edital para Chamada Pública – Agricultura Familiar

A Caixa Escolar MARIA CRISTINA COUTINHO FIGUEIREDO, no uso de suas atribuições constantes no Regulamento Próprio de Licitação da Caixa Escolar e em cumprimento da Lei Federal Nº 11.947/2009 e Resolução CD/FNDE Nº 026/2013, torna público que fará realizar no dia 13/07/2016, às 16h00, na EE DOMINGOS GONÇALVES DE MELLO - MINGOTE, situada nesta cidade, na RUA DOMICIANO NORONHA SÁ, S/Nº – SANTA TEREZA – CEP 37440-000 Telefone (035)3341-3151, e-mail: polivalentecaxambu@yahoo.com.br. Chamada Pública, nos termos do Edital Nº 002/2016, destinado a aquisição de Gêneros Alimentícios da Agricultura Familiar. O Edital Nº 002/2016 com todas as exigências e condições encontra-se afixado e à disposição dos interessados no endereço acima mencionado, no período de 22/06/2016 a 13/07/2016, no horário de 07horas às 15 horas.

Posto de Saúde do Vila Verde - As placas estão prontas. Agora só falta terminar a obra...

Posto de Saúde do Vila Verde
As placas estão prontas. Agora só falta terminar a obra...



"Eu achei que a obra estaria finalizada....rsrrs - mas não está ... está maquiada.

Agora, a placa sinalizadora está pronta. Só a inauguração é que não sabemos quando...

Mas enquanto isso, a placa está pronta"...

Compartilhado por 

Meteorologia anuncia chegada de nova frente fria sobre a região

Meteorologia anuncia chegada de nova frente fria sobre a região

Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.

Fonte: Climatempo

http://www.climatempo.com.br/previsao-do-tempo/cidade/731/caxambu-mg

terça-feira, 21 de junho de 2016

Câmara realiza audiência de instrução referente à UBS Vila Verde

Câmara realiza audiência de instrução referente à UBS Vila Verde

A Câmara Municipal realizou Audiência de Instrução (oitiva de testemunhas) perante a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) constituída para apurar irregularidades na contratação de empresa, na realização e na execução da obra da Unidade Básica de Saúde (UBS) Vila Verde, nos dias 3 e 20 de junho.
No dia 3 de junho, foram ouvidos o engenheiro civil da prefeitura, Gabriel Ferreira Filho e a chefe de Gabinete, Maria Denise da Silva. Os representantes da empresa 3 G Locações e Edificações Ltda. – ME, de Lagoa da Prata (MG), o administrador engenheiro Márcio Vargas de Andrade e o engenheiro civil Alexandre Santos de Andrade, foram ouvidos no dia 20.
Compõem a CPI os vereadores Hercílio Nogueira da Silva Filho (presidente – PMDB), Jean Carlos da Silva (relator – PDT), Marcos Antônio Leite Halfeld (secretário – DEM), Nilton Américo dos Santos (membro – PP) e Clóvis Renato Soares de Almeida (membro – PSDB).
O prefeito Ojandir Belini (Jurandir) e o advogado dele, Daniel Luiz de Souza Rezende, ouviram os depoimentos. Os trabalhos da CPI continuam em andamento. A seguir, os depoimentos dos representantes da empresa 3G.
         Depoimento do senhor Márcio Vargas de Andrade:

DSC_0003Respondendo às perguntas da Comissão Parlamentar de Inquérito, declarou: QUE a proprietária da empresa 3G era a sua filha Daniele Cristina dos Santos Andrade, conforme contrato social da empresa, e que sua função era a de administrador da empresa 3G; QUE a empresa 3G foi contratada pelo Município de Caxambu para realizar a obra de construção da UBS Vila Verde; QUE o valor da obra era de R$ 498.421,40; QUE participou de licitação na modalidade de Tomada de Preços; QUE conhecia o senhor Osvaldo Gonçalves; QUE a empresa Caxambu Construções de propriedade do senhor Osvaldo trabalhou em parceria com sua empresa na construção da UBS Vila Verde; QUE várias vezes se encontrou com o senhor Osvaldo no Gabinete do Prefeito de Caxambu; QUE nas reuniões do Gabinete do Prefeito se lembrava de estar presente o Prefeito, o senhor Osvaldo, o senhor Alexandre e ele; QUE na maioria das vezes a chefe de Gabinete Maria Denise da Silva se encontrava presente nas reuniões no Gabinete do Prefeito; QUE não foi apresentado ao senhor Osvaldo pelo Prefeito Ojandir; QUE a empresa 3G contratou o senhor Osvaldo na condição de parceria; QUE não foi apresentado ao senhor Osvaldo pelo Prefeito Ojandir, mas que quando perguntou ao Prefeito se conhecia alguma empresa ou pessoa de confiança para executar aquele tipo de obra, no caso a UBS, recebeu informação do Prefeito que o senhor Osvaldo se tratava de pessoa idônea e que sua firma era de confiança; QUE não se lembrava dos valores exatos negociados com o senhor Osvaldo para execução da obra da UBS Vila Verde, em suas reuniões; QUE não houve reunião para estabelecer os valores de 5% para o Prefeito, 5% para o senhor Márcio, 15% do valor total para pagamento de notas fiscais e 3% para o INSS, R$ 4 mil para o senhor Alexandre como engenheiro, conforme afirmado pelo senhor Osvaldo; QUE era o senhor Alexandre, responsável técnico, quem acompanhava as medições; QUE a obra não foi terceirizada para a empresa Caxambu Construções; QUE não era verdadeira a afirmação do senhor Osvaldo de que ele e o senhor Alexandre não acompanhavam a obra; QUE o senhor Osvaldo tomava conta da obra da UBS Vila Verde através de uma parceria verbal, que não havia contrato de terceirização; QUE o senhor Osvaldo tomava conta da obra da UBS Vila Verde, mesmo sem ter um contrato oficial; QUE os senhores Gabriel, engenheiro da Prefeitura, Willian, Secretário de Obras, e Sandro, engenheiro, foram os fiscais da obra, conforme afirmação do senhor Osvaldo; QUE quando visitava a obra, muitas vezes estava no local os senhores Gabriel, Willian, Sandro e o senhor Osvaldo também; QUE achava que o Prefeito Municipal não tinha conhecimento da parceria entre a 3G e a empresa Caxambu Construções de propriedade do senhor Osvaldo; QUE não tinha dados em mãos suficientes  para responder o procedimento de pagamento das parcelas da obra, referentes aos serviços executados pelo senhor Osvaldo, que também preferiu não responder; QUE não se lembrava o valor pelo qual a empresa 3G contratou o senhor Osvaldo Gonçalves; QUE os empregados que trabalharam na obra de construção da UBS Vila Verde foram contratados pela empresa 3G; QUE todos os funcionários daquela obra foram fichados pela 3G; QUE fazia pagamentos ao senhor Osvaldo Gonçalves; QUE os pagamentos eram referentes à UBS Vila Verde; QUE têm todos os recibos dos pagamentos feitos ao senhor Osvaldo pela execução da obra da UBS Vila Verde, inclusive dos depósitos feitos na conta do senhor Osvaldo; QUE os pagamentos ao senhor Osvaldo eram feitos através de depósitos bancários; QUE não sabia “de cabeça” os valores pagos ao senhor Osvaldo, que não tinha condições de precisar os valores neste momento; QUE as medições eram feitas pelo senhor Gabriel, engenheiro da Prefeitura, e pelo o senhor Alexandre, responsável técnico da obra, não sabia informar se o senhor Osvaldo estava presente em todas; QUE não confirmava os valores citados pelo senhor Osvaldo sobre os pagamentos que a empresa 3G deveria efetuar ao senhor Osvaldo Gonçalves, ou seja, inicial de R$ 335 mil, um aditivo de R$ 42.900,00, mais um aditivo de R$ 10.900,00 e também uma medição de R$ 56 mil que o senhor Osvaldo disse que não foi paga; QUE não houve aditivo ao contrato inicial; QUE esteve várias vezes no gabinete do Prefeito Municipal de Caxambu; QUE esteve várias vezes no gabinete do Prefeito Municipal para cobrar serviços executados pela 3G referentes à UBS Vila Verde; QUE o senhor Osvaldo não foi contratado em nenhum momento pela empresa 3G como funcionário; QUE não houve acerto com o senhor Osvaldo como funcionário da 3G; QUE todos os funcionários da obra da UBS foram contratados pela 3G; QUE alguns funcionários eram de Caxambu e outros de Lagoa da Prata; QUE encaminharia à Câmara Municipal de Caxambu a relação dos funcionários que trabalharam na obra da UBS Vila Verde; QUE a obra da UBS não foi concluída pelo senhor Osvaldo por falta de recursos; QUE a obra foi entregue pela Prefeitura e que foi concluída pela 3G; QUE o senhor Osvaldo não tinha vínculo empregatício com a 3G, não tinha contrato com a 3G, somente contrato verbal; QUE não sabia responder quantos anos de mercado tinha sua empresa, a 3G; QUE não iria responder se era comum na sua empresa repassar obras no valor que chega a quase meio milhão de reais a um construtor com contrato verbal; QUE não iria responder se tinha mais obras naquela mesma condição; QUE recebeu todos os pagamentos referentes à obra da UBS Vila Verde; QUE a empresa 3G atualmente não tinha dívida com o senhor Osvaldo; QUE o senhor Osvaldo tinha autonomia para contratar e dispensar funcionários em nome da 3G. Facultada a palavra ao procurador do senhor Prefeito Municipal Ojandir e a ele próprio, responderam que não tinham pergunta a fazer. Não havendo mais perguntas o Presidente agradeceu a presença do depoente e declarou encerrado o depoimento.
         Depoimento do senhor Alexandre Santos de Andrade:

DSC_0013 Respondendo às perguntas da Comissão Parlamentar de Inquérito declarou: QUE conhecia o senhor Márcio proprietário da empresa 3G; QUE trabalhava como engenheiro na empresa 3G desde agosto de 2013; QUE foi o RT pela execução da obra de construção da UBS Vila Verde em Caxambu; QUE conhecia o senhor Osvaldo Gonçalves; QUE o senhor Osvaldo era contratado pela empresa 3G para realização da obra da UBS Vila Verde; QUE o senhor Osvaldo trabalhava como parceiro na execução da obra, que os detalhes de contração não eram de sua responsabilidade, pois sua função era técnica; QUE acompanhava as medições da obra; QUE realizava medições acompanhado pelo senhor Gabriel, engenheiro da Prefeitura; QUE o senhor Osvaldo acompanhava algumas medições enquanto estava tocando a obra; QUE não sabia informar quem era o responsável pela contratação dos empregados da obra; QUE conheceu o senhor Osvaldo de passagem na saída da garagem da Prefeitura Municipal de Caxambu; QUE não fazia parte do RH da empresa e não contratava pessoal; QUE participou algumas vezes de reuniões do Gabinete do Prefeito, que não sabia informar exatamente quantas vezes participou de reuniões com o senhor Márcio e o senhor Osvaldo; QUE a obra foi acompanhada, na parte de fiscalização, pelo engenheiro Gabriel e pelo engenheiro Sandro; QUE orientava o senhor Osvaldo na execução da obra e nos andamentos da mesma, inclusive na avaliação dos projetos; QUE o senhor Osvaldo não esteve presente na obra do começo ao fim; QUE o senhor Osvaldo trabalhou entre 70 e 80% da execução daquela obra; QUE o senhor Osvaldo nunca conversou com ele a respeito de pagamentos realizados ao Prefeito Municipal de Caxambu; QUE o senhor Osvaldo disse a ele que o Prefeito fazia pedido de pagamentos para a obra, mas não sabia informar se era verdade e se houve aqueles pagamentos; QUE comparecia à obra regularmente de acordo com a necessidade da mesma; QUE trabalhava em outras obras da 3G, além de ser RT de outras empresas e engenheiro contratado da Prefeitura de Crucilândia (MG); QUE não sabia informar se o senhor Osvaldo tinha autonomia para contratar e dispensar funcionários em nome da 3G; QUE solicitou um aditivo de contrato, o que foi negado pela Prefeitura Municipal; QUE a empresa 3G fez pagamentos ao senhor Osvaldo; QUE houve uma paralisação na obra e o senhor Osvaldo não a executou até o fim conforme o combinado; QUE não havia contrato por escrito, tudo foi combinado para a execução da obra verbalmente; QUE não sabe precisar qual foi a forma de contratação do senhor Osvaldo para execução da obra da UBS, mas afirma que foi de 70 a 80% da obra; QUE não sabia informar como era o procedimento de pagamento ao senhor Osvaldo, se era de acordo com as medições, pois não era de sua área; QUE a equipe para trabalhar na obra não foi montada por ele, pois não era de sua área; QUE era sua responsabilidade a fiscalização do andamento, análise dos projetos e medições, inclusive a responsabilidade técnica sobre a obra; QUE vieram funcionários de Lagoa da Prata para realização de serviços específicos, os serviços comuns foram realizados por funcionários de Caxambu; QUE não sabia informar quem contratou os funcionários de Caxambu; QUE recebia mensalmente em função das obras que ele era RT, por medição, e não exatamente R$ 4 mil como afirmou o senhor Osvaldo; QUE assinava como responsável técnico da empresa 3G; QUE participou de reunião com o senhor Osvaldo para discutir parcelas em atraso; QUE não sabia informar se o senhor Osvaldo recebeu ou deixou de receber, pois não era da sua competência; QUE sofreu agressões verbais e tentativa de agressão física por parte do senhor Osvaldo na loja Marcon Materiais de Construções, inclusive tendo feito Boletim de Ocorrência; QUE o senhor Osvaldo deixou mais de 10% da obra sem concluir; QUE nunca teve medição na obra sem sua presença, ao contrário do que o senhor Osvaldo afirmou em depoimento; QUE a parte de compra de materiais não era função a ele atribuída; QUE não sabia informar se o aditivo negado pela Prefeitura trouxe prejuízos à empresa; QUE viu a necessidade de aditivo logo no início da obra na averiguação do terreno, analisando a topografia do mesmo; QUE o aditivo negado foi em torno de R$ 40 mil; QUE não confirmava a informação do senhor Osvaldo de que o mesmo teve prejuízos tendo em vista a compra de materiais; QUE não confirmava a falta de recebimento dos valores mencionados pelo senhor Osvaldo e desconhecia o aditivo de R$ 10 mil; QUE nunca foi pedido propina a ele e a empresa onde ele é o responsável técnico. Facultada a palavra ao ilustre procurador do Prefeito Municipal, senhor Ojandir, e a ele próprio, responderam não tinham perguntas a fazer. Não havendo mais perguntas o Presidente agradeceu a presença do depoente e declarou encerrado o depoimento.

Câmara Municipal de Caxambu

Previsão do tempo para hoje

Previsão do tempo para hoje



Sol com muitas nuvens durante o dia e períodos de céu nublado. Noite com muitas nuvens.


Fonte: Climatempo
http://www.climatempo.com.br/previsao-do-tempo/cidade/731/caxambu-mg

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Acompanhe ao vivo a reunião de hoje da Câmara Municipal de Caxambu

Reunião da Câmara Municipal de Caxambu







HOJE - Transmitindo ao vivo - a partir das 19,30h também pela rádio 104,9 FM

UninCor Caxambu realiza palestras sobre a Reforma Eleitoral 2015 na Câmara Municipal de Baependi

UninCor Caxambu realiza palestras sobre a Reforma Eleitoral 2015 na Câmara Municipal de Baependi 



O Curso de Direito da UninCor Caxambu realizou mais uma edição do projeto Reforma Eleitoral 2015, no último dia 09 de junho, na Câmara Municipal da Baependi e contou com a participação de representantes da comunidade, vereadores e partidários.
 


Com a coordenação do professor Paulo Afonso Daher Júnior, os alunos do segundo período do curso puderam promover uma maior conscientização política e eleitoral e atualizar as informações referentes às mudanças que ocorreram no ano passado com relação ao Código Eleitoral, a Lei das Eleições e a Lei dos Partidos Políticos.

Aproveitando o ano de eleições municipais, os estudantes criaram um Grupo de Estudos e Práticas para discutir e analisar as alterações. normas e leis que regem o processo eleitoral brasileiro e têm realizado este projeto dando apoio à população e representantes de partidos em cidades e instituições da região.

Cristiano Sávio

Inverno começa oficialmente nesta segunda-feira

Inverno começa oficialmente nesta segunda-feira






Fonte: Climatempo
http://www.climatempo.com.br/previsao-do-tempo/cidade/731/caxambu-mg

domingo, 19 de junho de 2016

Acidente

Mais um carro dentro dentro do Bengo
Ontem por volta de pouco mais de meia noite na Av .Gabriel Alves Fernandes

Imagens compartilhadas por Marcio Silva Figueiredo

Record - MG - Programa "Balanço Geral" - Moradores de um bairro em Caxambu, no Sul de Minas, aguardam pelo asfalto faz mais de 20 anos. E não é só esse o problema dos moradores.

Record - MG - Programa "Balanço Geral".
BAIRRO SEM ASFALTO: 20 ANOS DE ESPERA
Moradores de um bairro em Caxambu, no Sul de Minas, aguardam pelo asfalto faz mais de 20 anos. E não é só esse o problema dos moradores. 
Veja na reportagem da Juliana Coletta.

FEIRA DE ADOÇÃO DE CÃES E GATOS - 18/06 - Pça. XVI de Setembro - Caxambu

APAC
FEIRA DE ADOÇÃO DE CÃES E GATOS

 NESTE SÁBADO FIZEMOS MAIS UMA FEIRA DE ADOÇÃO NA PRAÇA DE CAXAMBU -  E MAIS UMA VEZ FOI UM SUCESSO, 
FORAM 9 ADOÇÕES, QUATRO GATOS E CINCO CÃES... 




QUE TODOS SEJAM FELIZES EM SEUS NOVOS LARES. 
PARABÉNS Á TODOS OS ADOTANTES!!!!


quinta-feira, 16 de junho de 2016

EPTV - CPI conclui que prefeito cometeu crime de improbidade em Caxambu

EPTV: 

CPI conclui que prefeito cometeu crime de improbidade em Caxambu

Motivo seria um acidente com um carro oficial em outubro de 2015.
Prefeito teria usado carro fora do horário de trabalho e sem motorista.

Do G1 Sul de Minas


Uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) da Câmara de Vereadores de Caxambu concluiu nesta semana que o prefeito da cidade, Ojandir Ubirajara Belini (PP), conhecido por Jurandir, cometeu crime de improbidade administrativa. O motivo, segundo o relatório apresentado nesta segunda-feira (13), seria um acidente com o carro oficial da prefeitura em outubro de 2015.
Ainda conforme o relatório realizado pelos cinco vereadores que compõem a comissão, Belini utilizou o veículo fora do horário de trabalho. No processo, também foi questionado o fato do prefeito estar sem motorista e um suposto sumiço do carro após o acidente. O veículo foi levado para um guincho em São Lourenço (MG).
Segundo a câmara, também não foi realizado um boletim de ocorrência. O município teria tido prejuízo com o pagamento do seguro, já que o carro foi comprado por R$ 82 mil e o valor pago pela seguradora foi de pouco mais de R$ 65 mil. O carro teve perda total.
Agora o relatório deve ser encaminhado ao Ministério Público, que pode ou não aceitar a denúncia contra o prefeito. Caso seja aceita, a pena pode ser de ressarcir os cofres públicos, pagar multa equivalente a até três vezes o valor do carro ou perder o cargo e ter os direitos políticos suspensos por oito a 10 anos.
A Prefeitura de Caxambu informou que o prefeito está em viagem e que não haverá pronunciamento sobre o caso até a entrega do comunicado oficial da Câmara de Vereadores.



Fonte: EPTV Sul de Minas

EPTV: - CPI conclui que prefeito cometeu crime de improbidade em Caxambu

EPTV:

CPI conclui que prefeito cometeu crime de improbidade em Caxambu

Motivo seria um acidente com um carro oficial em outubro de 2015.
Prefeito teria usado carro fora do horário de trabalho e sem motorista.





Uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) da Câmara de Vereadores de Caxambu concluiu nesta semana que o prefeito da cidade, Ojandir Ubirajara Belini (PP), conhecido por Jurandir, cometeu crime de improbidade administrativa. O motivo, segundo o relatório apresentado nesta segunda-feira (13), seria um acidente com o carro oficial da prefeitura em outubro de 2015.

Ainda conforme o relatório realizado pelos cinco vereadores que compõem a comissão, Belini utilizou o veículo fora do horário de trabalho. No processo, também foi questionado o fato do prefeito estar sem motorista e um suposto sumiço do carro após o acidente. O veículo foi levado para um guincho em São Lourenço (MG).

Segundo a câmara, também não foi realizado um boletim de ocorrência. O município teria tido prejuízo com o pagamento do seguro, já que o carro foi comprado por R$ 82 mil e o valor pago pela seguradora foi de pouco mais de R$ 65 mil. O carro teve perda total.

Agora o relatório deve ser encaminhado ao Ministério Público, que pode ou não aceitar a denúncia contra o prefeito. Caso seja aceita, a pena pode ser de ressarcir os cofres públicos, pagar multa ou até perder o cargo e ter os direitos políticos suspensos.

A Prefeitura de Caxambu informou que não vai ser pronunciar sobre o caso até receber o comunicado oficial da Câmara de Vereadores.

Câmara Municipal de Caxambu - Secretário de Finanças apresenta Relatório da Avaliação das Metas Fiscais

Secretário de Finanças apresenta Relatório da Avaliação das Metas Fiscais

Tribuna Livre
        
O secretário municipal de Finanças, Vicente de Paulo dos Santos, participou da Reunião Ordinária, no dia 13 de junho. Na oportunidade, ele apresentou o Relatório de Avaliação do Cumprimento das Metas Fiscais referente ao 1o quadrimestre de 2016, em cumprimento ao estabelecido no § 4o do art. 9o da Lei de Responsabilidade Fiscal, o qual determina que o Executivo demonstre e avalie o cumprimento das metas fiscais do orçamento fiscal ao final de cada quadrimestre.
         Os resultados foram apresentados com detalhamento das informações e acompanhados dos principais aspectos que condicionaram o desempenho da receita, da despesa, do resultado primário e da dívida pública consolidada. A seguir, parte do relatório apresentado.
         Metas fiscais
         O resultado primário, principal indicador de solvência fiscal do setor público, tem por finalidade demonstrar a capacidade do município em honrar o pagamento de sua dívida utilizando suas receitas próprias, demonstrando uma gestão orçamentária responsável. Nesse cálculo, são consideradas apenas as chamadas receitas e despesas fiscais, que não incluem, pelo lado das receitas, as receitas financeiras, as operações de crédito e alienação de bens, e do lado da despesa, a concessão de empréstimos e o pagamento do serviço da dívida (amortizações, juros e encargos). No período de 1o de janeiro a 30 de abril de 2016, o resultado primário foi de R$ 1.270.849,32. O resultado nominal apurado foi de (R$ 1.650.726,44).
         Receita
         A receita orçamentária total, que corresponde ao somatório das receitas correntes e de capital; excluídas as deduções para o FUNDEB foi prevista na Lei de Orçamento para o exercício de 2016 no montante de R$ 72.761.810,85. A receita realizada no período de janeiro a abril de 2016 foi de R$ 16.758.231,82, tendo sido arrecadado, portanto, 23,03% da meta anual. A receita orçamentária total arrecadada até o dia 30/4/16 foi de R$ 18.389.650,81 que excluídas as deduções no valor de R$ 1.631.418,99 chegou ao valor líquido de R$ 16.758.231,82 que equivale a 23,03% da receita estimada para 2016.
         O total das receitas correntes previstas para o exercício de 2016, de acordo com a programação financeira, foi de R$ 54.240.108,00. Os valores realizados neste 1o quadrimestre de 2016 corresponderam a R$ 16.863.080,75, sendo 31,08% do total previsto para o exercício. Nesse grupo, as receitas mais significativas são: transferências correntes e a receita patrimonial.
         Despesa de pessoal e limites da LRF
         A despesa de pessoal atingiu o percentual de 51,69%, sendo considerado o item mais significativo no conjunto das despesas fiscais, em relação à receita corrente líquida dos 12 últimos meses (até abril de 2016), conforme estabelece a Lei de Responsabilidade Fiscal, está acima do limite prudencial 95% (parágrafo único, art. 22) que é de 51,30%. Dados extraídos do relatório: LRF – despesa total com pessoal e LRF – demonstrativo da receita corrente líquida.
         Receita corrente líquida = R$ 38.764.078,55
         Despesa total com pessoal = R$ 20.037.936,82
         20.037.936,82 / 38.764.078,55 = 0,51692024 X 100 = 51,69%.
         Neste quadrimestre tivemos uma arrecadação acima da expectativa prevista, quanto à realização das despesas, esta ficou abaixo da prevista, como a despesa ficou abaixo da receita obteve-se assim o superávit orçamentário no valor de R$ 3.856.823,53.
         Os resultados apresentados permitem concluir que a meta fixada para o resultado primário foi considerada superada. As despesas com pessoal e a dívida consolidada líquida como proporção da receita corrente líquida encontram-se abaixo dos limites legais. Ficou demonstrado o alcance das metas fiscais estabelecidas, bem como o atendimento dos requisitos da Lei de Responsabilidade Fiscal.
         Demonstrativo da dívida flutuante em 30/4/16
         Total da dívida flutuante – R$ 3.410.063,55
         Total geral da dívida do município em 30/4/16
         Total geral – R$ 6.958.270,76
         Demonstrativo das disponibilidades financeiras em 30/4/16
         Total das disponibilidades – R$ 5.063.461,79
         Saldo da dívida líquida é igual ao valor geral da dívida deduzida o valor das disponibilidades financeiras: R$ 6.958.270,76 – R$ 5.063.461,79 = R$ 1.894.808.97.
         Manifestações dos vereadores
          O vereador Hercílio Nogueira Filho questionou a respeito da despesa de pessoal e limites da Lei de Responsabilidade Fiscal; o vice-presidente Clóvis Almeida indagou a dívida do município atualmente; o presidente Fábio Curi informou o valor da dívida do município, de acordo com o relatório apresentado pelo secretário municipal de Finanças; o secretário Denílson Martins questionou se houve alguma medida em relação ao gasto com pessoal, para que fique dentro do limite permitido; o vereador Marcos Halfeld recordou que a arrecadação do IPTU seria minguada até outubro, pois muitos contribuintes pagaram à vista; e o vereador Francisco Pereira indagou quando sobraria uma verba para a operação tapa-buracos na cidade, decorrentes do IPVA e IPTU.

Câmara Municipal de Caxambu http://www.camaracaxambu.mg.gov.br/

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Açaí Mania - Agora em Caxambu uma nova opção para quem prefere uma alimentação saudável

Açaí Mania
Agora em Caxambu uma nova opção para quem prefere uma alimentação saudável





Jornal O Tempo - Prefeito bate carro e pode ser afastado por improbidade

Prefeito bate carro e pode ser afastado por improbidade
Acidente motivou criação de uma CPI, já que o carro era de propriedade da administração municipal e foi utilizado para fins particulares



Um acidente de carro na zona rural do município de Caxambu, no Sul de Minas, envolvendo o prefeito Jurandir Belini (PP), pode decretar o fim da administração do pepista na cidade. Isso porque o acidente motivou a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no final do ano passado, já que, na verdade, o carro era de propriedade da própria Prefeitura de Caxambu. Na última segunda, o colegiado que avaliou a questão concluiu o relatório e apontou que Belini cometeu o crime de improbidade administrativa.
De acordo com o texto, produzido e assinado pelos cinco vereadores que formaram a CPI, Belini cometeu irregularidades ao utilizar um veículo oficial para fins particulares e por não ter registrado um boletim de ocorrência sobre o acidente. Na época do ocorrido, o Aparte chegou a publicar que a situação ganhara ares de mistério, já que o próprio carro envolvido no acidente havia sumido. Além da falta do boletim, a única testemunha do acidente, indicada pelo prefeito, tinha problemas de fala, sendo quase muda. Segundo a versão de Jurandir na época, um morador prestou socorro e o auxiliou a chegar até um hospital de Baependi, município vizinho. Ele teria perdido o controle do carro e colidido com um barranco.
Agora, o relatório será encaminhado para o MPMG. Segundo o presidente da Câmara, vereador Fábio Curi (PR), a Casa fará uma reunião para decidir medidas no âmbito legislativo. O apontamento de improbidade administrativa pelo relatório pode motivar um pedido de impeachment de Belini. A coluna entrou em contato com a Prefeitura de Caxambu, que prometeu um retorno, mas, até o fechamento desta edição, não tinha retornado.


Fonte: Jornal O Tempo

Páscoa de Nhá Chica é celebrada por seus fiéis devotos

Páscoa de Nhá Chica é celebrada por seus fiéis devotos

No dia , 14 de junho, os fiéis devotos de Nhá Chica celebraram com grande fé e emoção os 121 anos da Páscoa da Beata, que há muito comove multidões de peregrinos atraídos por sua história de vida e santidade.
Nhá Chica é vista por todos que a buscam como uma "mãezinha", um colo sempre receptivo e disposto a ouvir e interceder. Ainda em vida já era conhecida como a "Mãe dos Pobres", devido a sua bondade e caridade.
Por tudo isso, celebrar a sua Páscoa é uma data única e que deve ser de grande espiritualidade e meditação. Um momento não apenas de elevar nossas preces à Beata, mas também de agradecer a Deus por ter enviado ao mundo sua "Luminosa Discípula", uma "Testemunha perspicaz da Misericórdia Divina", conforme a nomeou o próprio Papa Francisco.
Nesse sentido, desde bem cedo a Igreja de Nossa Senhora da Conceição já começou a receber devotos que vieram para visitar e prestar homenagens à Nhá Chica. Dom Pedro Cunha Cruz, Bispo Diocesano da Campanha - MG, celebrou às 9 horas a Santa Eucaristia. Já às 18 horas, os devotos seguiram em procissão vindos da Igreja Matriz em direção à Igreja de Nossa Senhora da Conceição, onde participaram da celebração da Missa de encerramento das festividades dos 121 anos da Páscoa de Nhá Chica.


Veja o álbum de fotos completo em nossa página do facebook. Acesse:https://www.facebook.com/nha.chica.5

Fonte: Nhà Chica.org