Palace Hotel - Caxambu

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Dorcas Veiga - ORAÇÃO DOS CAXAMBUENSES

Dorcas Veiga
ORAÇÃO DOS CAXAMBUENSES


Pai Nosso que estás no céu,20151208_142937-1-1
Estenda para nós o Teu olhar de misericórdia
Nossa cidade está desolada
Muito nos entristece a indiferença daqueles que têm o poder para mudar e nada fazem
Senhor, as ruas, tão esburacadas, parecem alvos de bombardeio islâmico. Não temos segurança
As calçadas estão cheias de mato e sujeira e andar a pé tem se tornado um risco à nossa integridade física
Nosso parque, Senhor, local sagrado recebido das Tuas mãos, está abandonado
Nem mesmo foi poupado o Morro, onde Cristo de braços abertos intercede por nós
Estamos vivendo uma epidemia de maus agouros
As fontes, bênçãos cujas águas jorram a cura para tantos males que assolam a humanidade, não jorram, infelizmente, águas para curar o mal que nos assombra.
Nosso povo está carente de dignidade e respeito
Nossa maior vocação, o Turismo, está comprometida pelo impostor
Assim também o Esporte, a Saúde, a Educação, a Cultura, o Meio Ambiente… Todas as áreas foram invadidas por falsos entendedores ou marionetes do alheamento
As casas de caridade, as quais com tanto amor zelam de nossos idosos, crianças, portadores de deficiências… estão desamparadas
Nosso dinheiro está sendo usado para custear aproveitadores e mercenários
Nossa administração está infectada pela imoralidade, pelo descaso, pela falta de humanidade
Estamos perdendo nossos jovens… muitos estão se entregando ao mundo das drogas e do crime
O desespero pela falta de oportunidade, de emprego e de renda estão fazendo pessoas abandonarem a nossa cidade
E ainda, Senhor, há os que estão doentes, sofrendo de cegueira, ignorância, loucura e acreditam estar tudo bem
Para estes, Senhor, pedimos perdão pois não sabem o que fazem
Pai, socorra-nos. Reclamar ao homem em nada nos tem adiantado
Estenda Tua mão e ajude-nos agora e no futuro
Seja nosso alento, dê-nos vontade de lutar e não nos permita acomodar diante da impunidade
Abra nossa mentalidade para que não vendamos nossa dignidade pelo pão que nos consolará por um dia.
Senhor, não nos deixe acreditar em falsas promessas
Não nos permita libertar Barrabás nem jogar pérolas aos porcos
Dê-nos o dom do discernimento para enfim podermos ter um pouco de paz
Enfim, Senhor, proteja-nos de todo o mal e nos ilumine
Amém.