Palace Hotel - Caxambu

terça-feira, 5 de julho de 2016

Do G1 Sul de Minas - Câmara decide afastar prefeito por improbidade em Caxambu, MG

Do G1 Sul de Minas
Câmara decide afastar prefeito por improbidade em Caxambu, MG
Em junho, CPI emitiu relatório apontando que crime teria acontecido.
Motivo seria um acidente com um carro oficial em outubro de 2015.


A Câmara de Vereadores de Caxambu (MG) decidiu afastar o prefeito Ojandir Ubirajara Belini (PP), conhecido como Jurandir, por improbidade administrativa. A decisão foi tomada durante reunião realizada nesta segunda-feira (4).

Em junho, uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) da Câmara concluiu que o prefeito havia cometido o crime de improbidade. O motivo, segundo o relatório apresentado no dia 13, seria um acidente com o carro oficial da prefeitura em outubro de 2015.

Ainda conforme o relatório realizado pelos cinco vereadores que compõem a comissão, Belini utilizou o veículo fora do horário de trabalho. No processo, também foi questionado o fato do prefeito estar sem motorista e um suposto sumiço do carro após o acidente.

Com a decisão, o prefeito precisa receber a notificação da Câmara para ser oficialmente afastado. Depois que isso for feito, quem deve assumir é o vice-prefeito, Carlos Alberto Abrahão (PP), conhecido como Beto da Nazira, pelo prazo de 90 dias..




AcidenteO prefeito sofreu um acidente na zona rural de Baependi (MG). O carro em que Belini estava capotou e ele foi socorrido por pessoas que passavam pelo local. O prefeito fraturou duas costelas e tomou 15 pontos na cabeça por causa do acidente.

Segundo a Câmara de Vereadores, não foi realizado um boletim de ocorrência e o veículo foi levado para um guincho em São Lourenço (MG). O município de Caxambu teria tido prejuízo com o pagamento do seguro, já que o carro foi comprado por R$ 82 mil e o valor pago pela seguradora foi de pouco mais de R$ 65 mil. O carro teve perda total.

Pedido para dirigir o carro
Em 2010, o Belini enviou um projeto de lei à câmara pedindo que ele fosse autorizado a dirigir o veículo. Um artigo proíbia a utilização do carro oficial para fins particulares, fora do horário de expediente. Mas os vereadores rejeitaram a proposta.

Apesar de Caxambu não ter uma lei que regulamente o uso de carros oficiais no município, o chefe de gabinete da câmara disse que o prefeito deveria estar acompanhado de um motorista, como determina uma lei federal. Já o procurador do município alegou que o prefeito estava sozinho por contenção de gastos.