Palace Hotel - Caxambu

sábado, 2 de julho de 2016

Revista Quem - Globo.com - Entrevista Karen Junqueira - “Não sou uma bonequinha", diz Karen Junqueira

“Não sou uma bonequinha", diz Karen Junqueira
Intérprete da patricinha Jéssica de 'Haja Coração', Karen Junqueira relembra a chegada ao Rio aos 17 anos e sem apoio familiar para tentar a carreira de atriz, desfaz o rótulo de "loira rica" e garante que sabe dar valor ao dinheiro



Karen Junqueira convence tanto na pele da patricinha e vilã Jéssica, da novela Haja Coração, que é até difícil imaginá-la longe do jeito fútil da personagem. Para realizar o sonho de ser atriz no Rio de Janeiro, a mineira de 33 anos precisou enfrentar os pais com apenas 17. “Eu tinha 150 reais no bolso, cheguei aqui vinda de Caxambu, uma cidade minúscula, consegui emprego em uma loja e aluguei um quarto”, conta Karen durante passeio no Museu da Vida, localizado no campus da Fundação Oswaldo Cruz, Zona Norte do Rio. “Meu pai achava que atriz não era profissão, que existia teste do sofá”, prossegue ela, que durante os primeiros três meses na cidade chegou a engordar 10 quilos por conta de uma dieta que incluía duas fatias de pizza e um copo de refrigerante no almoço. “Fiquei ansiosa, mas sempre tive personalidade – aos 13 anos já queria trabalhar”, afirma. 

BULLYING NA ESCOLA Se na televisão a beleza clássica de Karen chama atenção, em seus anos escolares nem sempre a atriz recebeu elogios. O corpo magrelo e o cabelo com corte joãozinho lhe renderam o apelido de Pipa. “Aos 10 anos eu era um menino, depois dos 12 comecei a me sentir mais mocinha, usava sutiã com enchimento”, revela aos risos. Aos 15, ela tentou ser miss de Caxambu, mas o momento ganhou contornos cômicos: “Perdi o salto na passarela, já imaginou?”. 

Casada com o publicitário Rodrigo Medina, de 37 anos, Karen hoje está feliz com seu corpo. Ela alterna treinamento funcional com crossfit, acompanhada por um personal trainer, e cuida da balança apostando em alimentos orgânicos. “Tenho evitado leite, mas brinco que sou ‘queijólatra’. Como mineira consegue ficar sem um pão com queijo no café da manhã?” 



 SEM RÓTULOS O lado moleca da atriz fica evidente ao se divertir com as obras que representam o corpo humano, na área externa do museu. “Nunca fui boa em ciências, gostava de história”, diz. Seu jeito firme contrasta com o da patricinha estilo loira rica: “Não sou uma bonequinha. Acho uma loucura quem gasta 30 mil reais em uma bolsa, prefiro viajar!”. Semelhanças com Jéssica? Nenhuma. “Ela é nojentinha, faz distinção entre as pessoas, acho isso sério”, alerta. Com um currículo que inclui novelas na Record – como Os Mutantes e Poder Paralelo –, e na Globo – Em Família e Império –, Karen torce por personagens que a tirem de sua zona de conforto. “Não quero ser só a loira bonita, quero que me chamem para raspar os cabelos”, sugere.



Reprodução Texto e imagens  Fonte:  Revista Quem - Globo.com 
http://revistaquem.globo.com/Entrevista/noticia/2016/07/nao-sou-uma-bonequinha-diz-karen-junqueira.html