Palace Hotel - Caxambu

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Transmantiqueira em estilo Alpino terá cobertura online do "Extremos"


A partir das 20 horas dessa quarta-feira, dia 13 de novembro, dois aventureiros paulistas iniciarão uma das maiores travessias a pé já realizadas em montanhas brasileiras, cujo traçado a ser interligado terá mais de 400 quilômetros, 40% dos quais na crista da Serra da Mantiqueira e 60% em suas bordas, aproveitando velhos caminhos de tropeiros. A travessia terá cobertura em tempo real pelo Portal Extremos. O Engenheiro de Riscos Pablo Bucciarelli, conhecido por Capitão, e o Antropólogo Pedro Alex Viana, ambos corredores de aventura e montanhistas, escolheram a pior época do ano, de transição entre as estações da Primavera e Verão, marcada pelo início das chuvas, para realizar um feito no mínimo audacioso. Denominada por muitos de Transmantiqueira, a travessia que une as principais montanhas que compõe a Serra da Mantiqueira, entre os Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, será realizada numa única jornada de forma inédita.

Em 2010, Pablo decidiu realizar a travessia em solo e sem assistência, mas não concluiu. Conheceu Pedro Alex competindo Corrida de Aventura no ano seguinte, quando eram adversários. No entanto, em função das afinidades, tornaram-se amigos e parceiros nesse projeto. Desde então, ensaiaram várias tentativas de travessia sem sucesso. Após longo planejamento, decidiram enfrentar dias isolados, sem receber apoio externo, numa região já conhecidamente hostil que terá ainda o fator clima como obstáculo, além dos ventos fortes, vegetação alta, escassez de água e comida, características comuns de toda a região. Um dos propósitos é a divulgação do futuro projeto de criação da trilha de longa travessia Rota Mantiqueira, que tem como pedra fundamental o ideal de preservação da biodiversidade da região. Ambos montanhistas-corredores falaram ao Portal Extremos desse desejo de atravessar a rota num tiro único. Isso quer dizer que farão a travessia sem paradas, sem equipe de apoio, administrando a privação do sono, com suas mochilas de ataque contendo o mínimo necessário para sobreviver, reabastecendo-se de alimentos nas vilas, lidando com poucos recursos, fruto de suas experiências nas corridas de expedição.
Pablo e Pedro Alex possuem o mesmo objetivo, terminar a travessia, mas desejam fazê-la de forma rápida, sem levantar acampamento. Pablo aos 38 anos de idade, atleta de espírito jovem e ambicioso, contribuirá com sua bagagem das provas de aventura atuando como navegador, já que conhece grande parte do percurso. Pedro Alex com seu alto astral, vitalidade e companheirismo, aos 27 anos de idade marcará a rota com GPS para publicação após a conquista. Ambos sabem dos riscos e da carga emocional que carregarão, pois não haverá facilidade no percurso, muito menos clima favorável. Por outro lado, a troca de energia com a população das comunidades locais, além dos cenários da Mantiqueira, servirá de combustível extra para levantar o moral nos momentos de maior provação, comenta Pablo.
A serra tem uma formação geológica datada da era arqueana, entre 3,85 e 2,50 bilhões de anos atrás, compreendendo um maciço rochoso com grande área de terras altas, entre mil e quase três mil metros de altitude ao longo das divisas dos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro, na região Sudeste do país. Na Serra da Mantiqueira existem diversas unidades de conservação, como a área de proteção ambiental Serra da Mantiqueira, dividida entre os três estados, o Parque Nacional de Itatiaia, dividido entre Minas e Rio, e os Parques Estaduais Serra do Papagaio (Minas) e Campos do Jordão (São Paulo). Dez por cento da serra encontra-se em terras fluminenses. Trinta por cento da serra está localizada no estado de São Paulo, e os demais 60% estão localizados no estado de Minas Gerais, que possui a sua maior porção. “Mantiqueira” é um termo de origem tupi-guarani que significa “gota de chuva”, através da junção dos termos “amana” (chuva) e “tykyra” (gota). Os índios atribuíram esse título de "serra que chora" devido a grande quantidade de rios que nascem na serra. O maciço da Serra da Mantiqueira possui aproximadamente 500 quilômetros de extensão e se inicia próximo à cidade de Bragança Paulista e segue para o leste delineando as divisas dos três estados brasileiros até a região do Parque Nacional de Itatiaia onde adentra Minas Gerais até a cidade de Barbacena. A partir daí, uma continuação pode ser considerada, pois a mesma desvia para o norte até a Serra do Brigadeiro, no leste de Minas Gerais, chegando a aproximar-se do Parque Nacional do Caparaó. Seu ponto culminante é a Pedra da Mina, com 2.798 msnm (metros sobre o nível do mar), na divisa dos estados de Minas Gerais e São Paulo e seu ponto de transposição mais baixa é a Garganta do Embaú, por onde passaram os bandeirantes durante suas incursões ao interior de Minas Gerais. A região da Serra da Mantiqueira tem altitude média de 1.200 a 2.800 msnm, e é popular pela prática do montanhismo dada a grande quantidade de proeminências, e durante o inverno tem maior procura.
A travessia a ser realizada pela dupla paulista consiste na união das principais montanhas da Serra da Mantiqueira. Incluem-se nisso os roteiros mais conhecidos dos praticantes de montanhismo, como as travessias Campos-Piquete, Marins-Itaguaré, a Serra Fina, a Serra Negra e a Serra do Papagaio, passando ainda pelo maciço de Itatiaia. Porém, apesar da jornada dura que enfrentarão, decidiram alongar o percurso para que toda a extensão da Mantiqueira fosse percorrida, sem abrir mão de quase nada. Iniciarão a empreitada a partir de Monte Verde, sul de Minas, considerado o início oficial do projeto da trilha de longa duração Rota Mantiqueira, passando por São Francisco Xavier, São Bento do Sapucaí, chegando ao Parque Estadual de Campos do Jordão. Daí, eles ligarão todas as travessias mais conhecidas, com descenso final em Aiuruoca. Passarão pelos principais picos da serra, os mais conhecidos da Mantiqueira, vinte e seis deles acima dos 2.000 msnm. Dentre eles estão: Pico do Selado (2.080 msnm), Pedra do Baú (1.950 msnm), Pico dos Marins (2.420 msnm), Pico do Marinzinho (2.432 msnm), Pico do Itaguaré (2.308 msnm), Alto Capim Amarelo (2.352 msnm), Pedra da Mina (2.798 msnm), Pico dos Três Estados (2.665 msnm), Morro do Couto (2.680 msnm), Maciço das Prateleiras (2.548 msnm), Pico das Agulhas Negras (2.791 msnm), Pedra do Altar (2.665 msnm), Pedra do Sino (2.670 msnm) e o Pico do Papagaio (2.100 msnm).
Ao todo, estima-se um percurso total de 410 quilômetros, que será confirmado pelo GPS após a conclusão da travessia. Os montanhistas não quiseram informar a previsão em dias para a realização do percurso, já que não há referência similar de travessia no estilo Alpino até o momento, além dos fatores que podem alterar a estimativa da duração, especialmente o clima. Ambos aventureiros paulistas demonstram certa ansiedade para iniciar a expedição, pois sabem que serão muito castigados pela natureza. A vegetação e a altimetria são os principais fatores adversos, marcantes na serra. Preferiram não comentar sobre a expectativa de chuvas, mas estão preparados para a grande jornada após muitos treinos e meses de planejamento, além de uma temporada de montanhismo intensa para ambos. Pablo esteve semanalmente nas montanhas durante a temporada, realizando treinos e guiadas. No início do ano guiou nos Himalayas e tem se dedicado aos treinos regulares de corrida de montanha. Pedro Alex também vem treinando forte e realizou recentemente sua primeira corrida de expedição na Bahia. Pablo disse ao Portal Extremos que confia muito no parceiro, enfatizando que atualmente Pedro Alex encontra-se na sua melhor forma física. Pablo comentou ainda que o maior desafio do trekking será durante a parte noturna, pois em vigília terão que navegar sob neblina e escuridão, o que dificulta muito a progressão. O peso nas mochilas não deve ultrapassar os 8 quilos, comentou Pedro Alex, mas grande parte será tomada pelas baterias dos equipamentos de iluminação, foto, vídeo e GPS. Sua maior preocupação é a conservação da integridade dos pés, que necessitam maior atenção devido à possibilidade de chuvas. Levarão mais pares de meia que comumente fazem nas travessias longas, além de incluírem nas mochilas um par de papetes para os trechos de estradão.
Não percam a cobertura em tempo real da Transmantiqueira 2013 a partir das 20 horas dessa quarta-feira, dia 13 de novembro, quando começaremos a acompanhar os montanhistas-corredores Pablo, o Capitão, e Pedro Alex aqui no Portal Extremos. Teremos ao longo dos próximos dias podcasts psicodélicos dos aventureiros, que enfrentarão sono, fome, sede, mas demonstraram confiança e uma coragem admirável na entrevista concedida ao portal.
Deixe sua mensagem de vibrações positivas aqui na página para essa dupla de guerreiros formada por Pablo Bucciarelli e Pedro Alex Viana! Estamos torcendo por vocês! Se alguém da nossa audiência encontrar com os montanhistas durante a travessia, nos enviem fotos para entrar na cobertura ao vivo.