Palace Hotel - Caxambu

segunda-feira, 24 de março de 2014

Em assembleia, funcionalismo público municipal decreta greve geral a partir de quinta (27/03)


Em uma espetacular demonstração de coragem, os funcionários públicos municipais de Caxambu lotaram a Câmara na última sexta-feira (21/03), em mais uma assembleia geral da categoria. Se a assembleia passada já surpreendeu a todos pela quantidade de pessoas, a mais recente superou todas as expectativas. Faltou lugar para se sentarem, corredores lotados, área de trás tomada pela multidão, e até a escadaria ocupada até o lance inferior. Isso tudo demonstra a força da categoria em movimento, que começa a acreditar que o futuro está em suas mãos.

A assembleia começou com a exposição de como foi a reunião da comissão com o prefeito no dia anterior. A Prof.ª Carla Fernandes explicou a pouca disposição do chefe do executivo municipal em realmente negociar a pauta de reivindicações, que buscou apenas ganhar tempo pedindo mais prazos, e ignorando que a pauta de reivindicações fora protocolada em dezembro do ano passado. Ou seja, nem ao menos realizou o estudo do documento nos últimos três meses (provavelmente de forma deliberada). O resultado, na reunião em que deveria apresentar uma proposta à comissão, ele pediu para ler a pauta! Uma prova de desrespeito com a categoria.

Na fala seguinte, o prof. Cássio Diniz, diretor estadual do Sind-UTE/MG e membro da comissão, buscou a reflexão das intensões da prefeitura. Apontou que a mesma percebeu a força da mobilização da categoria, e está buscando desmobilizá-la, seja tentando enrolar a comissão e ganhar tempo, seja coagindo os funcionários. Diante disso, explicou, que o momento era favorável para a categoria, mas salientou a necessidade de avançarmos até a vitória.

Após, foi aberto o microfone para as intervenções e dúvidas da categoria. Muitos questionamentos foram feitos, e ao final a Dr. Mariana Tavares - advogada da FESEMPRE - respondeu a todos, ressaltando o direito inalienável à greve por parte de todos os trabalhadores e a existência de um conjunto de leis que corroboram e protegem aos que aderirem ao movimento.

Ao final da assembleia, foi apresentada pela comissão a proposta de greve, a se iniciar dia 27 de março (devido aos avisos legais a serem efetuados). Em um momento de beleza simbólica, a categoria aprovou por unanimidade a greve, até que o executivo atenda as reivindicações.

Agora começa a jornada para construirmos a greve. É importante que todos participem. A força da categoria está na adesão de todos; convencer aqueles que estão em dúvida é fundamental. Formem nos locais de trabalho seus comandos de greve. Comentem com a comunidade, pedindo o seu apoio e sua solidariedade. Para o dia de início da greve, está marcado um ato público do funcionalismo público em frente a prefeitura, às 15h. Contamos com a participação de todos, inclusive da comunidade em solidariedade. UNIDOS, SOMOS MUITO MAIS FORTES!