Palace Hotel - Caxambu

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Documento Histórico - Artigos publicados na década de 50 pelo Dr. Floriano de Lemos sobre o uso terapêutico da maconha

Artigos publicados na década de 50 sobre o uso terapêutico da maconha


(Jornal Correio da Manhã)
Por Floriano de Lemos


                                 
Use o Zoom para ampliar



"Lembrei-me, então, de mostrar-lhe uma faceta de meu pai, que é um dos homenageados no Parque, com seu nome dado ao Gêiser. Ele sempre se dedicou à cidade e ao estudo de suas águas, promovendo-as em suas Crônicas Científicas, publicadas no jornal Correio da Manhã/RJ, matutino de grande repercussão no país, quando ainda não havia a divulgação das notícias pelos meios da Internet.
Creio ser importante mostrar aos caxambuenses que o homenageado por eles transcende, e muito, à figura do médico naturalista que se dedicou a estudar suas águas minerais.
Atualmente a Imprensa e os políticos estão dando realce à liberação da maconha para fins terapêuticos. Será um ato pioneiro no País? Com certeza que não é. Há várias décadas o Brasil proibiu o cultivo e a venda do Cânnabis e seus correlatos. Antes disso, meu pai empregava na clínica a tintura e o extrato dessa urticácea, em fórmulas para casos rebeldes de estados depressivos ou para sedar a dor em enfermidades longas.
Com a proibição de venda e comércio da droga, e para não interromper o tratamento de seus clientes, meu pai passou a recebê-la de Londres, enviada por minha irmã mais velha ali residente, porque  no Reino Unido  não havia proibição ao uso do remédio. Tenho comigo duas de suas Crônicas (escritas sobre o assunto há 50 e 60 anos atrás) e penso que seria interessante mostrar aos caxambuenses que seu homenageado foi um médico pioneiro em sua época e, hoje, embora em outro plano, continua atualizado."

(Mariazinha Lemos)