Palace Hotel - Caxambu

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Do G1 Sul de Minas - 'Águas Minerais de MG' demite funcionários em 3 cidades da região

Do G1 Sul de Minas
'Águas Minerais de MG' demite funcionários em 3 cidades da região
Empresa subsidiária da Copasa anunciou desligamento de 52 funcionários.
Sindicato que representa trabalhadores acionou o Ministério Público.




Funcionários da empresa Águas Minerais de Minas Gerais, em Cambuquira (MG), Caxambu(MG) e Lambari (MG), estão sendo demitidos. O sindicato que representa os trabalhadores acionou o Ministério Público para tentar impedir que isso aconteça, já que os funcionários são concursados. Ao todo, 52 funcionários da empresa, que é uma subsidiária da Copasa, receberam aviso de desligamento da empresa.

"Todo mundo ficou apreensivo né. Perder o emprego nessa empresa ainda, é difícil", disse o operador de máquinas Adir Soares Teixeira.

Desde 2007, a empresa tinha o direito de explorar os recursos hidrográficos das cidades de Araxá (MG), Lambari (MG), Caxambu (MG) e Cambuquira (MG). Mas, oito anos depois, alegou prejuízos de cerca de R$ 8 milhões e decidiu romper o contrato com o governo do Estado. No entanto, o presidente da empresa disse na época que as demissões estavam descartadas.

O sindicato que representa os trabalhadores já acionou o Ministério Público para reverter as demissões. Segundo a entidade, esses funcionários são concursados e não poderiam ser demitidos.



"A empresa continua a atividade que eles exerciam, estão sendo contratadas outras pessoas para fazer o trabalho que eles faziam", disse o secretário do Sindágua, Adilson Ramos.

O Ministério Público já notificou a Copasa e o governo do Estado. A recomendação da Promotoria é de que seja elaborado um novo plano de demissões ou que os trabalhadores sejam remanejados para outros setores.

"A gente quer que a empresa reconheça o nosso concurso e abra as portas pra gente aí fora, ela tem tantos lugares pra reabsorver a gente", disse o operador de máquinas Luiz Carlos de Souza.

A Codemig informou que até o 3º trimestre deste ano, vai continuar fazendo o envazamento até uma nova empresa assumir os trabalhos.

Fonte: G1 Globo