Palace Hotel - Caxambu

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Servidores municipais da educação decidem manter mobilização em prol do 13º salário em Caxambu

Servidores municipais da educação decidem manter mobilização em prol do 13º salário em Caxambu


Educadores da rede municipal de Caxambu se reuniram extraordinariamente na tarde desta terça-feira (26 de janeiro) no Sind-UTE/MG para debaterem as novidades da luta pelo pagamento do 13º salário atrasado de 2015, e deliberarem os próximos passos da mobilização.

Na ocasião, o sindicato apresentou aos presentes o que foi realizado na última semana e que fora decidido na reunião anterior. Além dos dois requerimentos protocolados na prefeitura, informou que a representação do Sind-UTE/MG Caxambu no Ministério Público foi acatada pela promotora Tânia Nagib, e que a mesma interpelou a Prefeitura, cobrando o pagamento de suas dívidas com os servidores (13º salário) antes de efetuar qualquer tipo de gasto com festividades (veja o documento do MP ao final da matéria).

Após, os presentes debateram a posição da prefeitura, que soltou nota no dia anterior informando que pagaria uma "1ª parcela" do 13º no dia 05 de fevereiro. A principal indagação dos professores e do sindicato é que parcelamento é esse? É facil falar em parcelamento nesse momento (mas as contas atrasadas dos trabalhadores geradas pela irresponsabilidade da prefeitura não é parcelada), porém, em quantas vezes será parcelado? Com o histórico de promessas vazias e traíções, como podemos confiar nesse senhor?

Diante desses apontamentos, a reunião decidiu por manter a mobilização, ainda com mais força durante a primeira semana de volta às aulas (os dias 1º, 2 e 3 de fevereiro) com o objetivo de conscientizar o total da categoria municipal - professores, funcionários de escolas e motoristas do transporte escolar - a somarem forças à luta coletiva, e construir a assembleia geral dos servidores municipais da educação, a ser realizada na quinta-feira, 04 de fevereiro, a fim de tomar as decisões mais fortes para obter o pagamento real de todo o 13º salário atrasado.

Ao final, os presentes concluíram a necessidade dos educadores de Caxambu avançarem na sua organização sindical na cidade. Os servidores municipais da Educação não podem ficar mais abandonados, e que a sua luta deve estar organizada em um sindicato forte, combativo, democrático e participativo, ampliando o consenso que os trabalhadores da rede municipal de educação se sindicalizem coletivamente ao Sind-UTE/MG subsede Caxambu.




Resposta encaminhada pelo Ministério Público ao Sind-UTE/MG Caxambu e cópia do documento do MP encaminhado à Prefeitura Municipal









Fonte:Sind-UTE Caxambu e Região