Palace Hotel - Caxambu

terça-feira, 1 de abril de 2014

Greve do funcionalismo municipal - repercussão

Funcionalismo público de Caxambu faz greve geral, por tempo indeterminado, e por melhores condições de trabalho


Funcionalismo público de Caxambu faz greve geral, por tempo indeterminado, e por melhores condições de trabalho
Os funcionários públicos de Caxambu, no Sul de Minas, em ato unificado, realizaram nessa quinta-feira (27/03), o primeiro dia de paralisação da categoria, por tempo indeterminado. O município possui cerca de 700 servidores públicos.

O diretor estadual do Sind-UTE Subsede Caxambu, Cássio Diniz, integra a comissão do funcionalismo público municipal, juntamente com o presidente do SindisCaxa, Júlio Tadeu e professores e trabalhadores de base. Segundo Cássio Diniz, a greve geral do funcionalismo ocorre após várias tentativas mal sucedidas de serem recebidos pelo prefeito Ojandir Belini.

O professor informa que desde o dia 13 de dezembro do ano passado foi protocolada a pauta de reivindicação do funcionalismo público municipal e tentamos marcar uma reunião com o Executivo, mas fomos ignorados. No dia 8 de janeiro houve uma nova tentativa, e mais uma vez o prefeito nos ignorou. “Ocupamos a tribuna livre da Câmara Municipal em duas oportunidades, nos dias 24 de fevereiro e 17 de março, mas o prefeito nos enrolou mais uma vez, agora ele pede mais prazo para analisar a pauta de reivindicação e afirma que não negocia com os funcionários parados. Não vamos recuar da nossa posição de greve geral por tempo indeterminado”, afirma Cássio Diniz.

O prefeito recebeu a comissão do funcionalismo, mas sequer leu a pauta de reivindicação e não sinalizou em nenhuma direção. “Depois de mais de três meses, esperávamos, no mínimo, uma contraproposta da Prefeitura, que não chegou e agora o prefeito pede mais 15 dias, num sinal claro de que está querendo ganhar tempo”, acrescenta o diretor do Sind-UTE Subsede Caxambu. Ainda de acordo com Diniz, a categoria luta por um plano de carreira da educação, o cumprimento da Lei do Piso, pagamentos de biênios atrasados desde 2011, cumprimento do 1/3 de hora atividade e é contra a exclusão dos profissionais das creches no plano de carreira.

A greve do funcionalismo ganhou o apoio maciço da população de Caxambu, que compareceu ao primeiro dia de mobilização em frente ao prédio da Prefeitura. O presidente do SindisCaxa avalia como positivo o primeiro dia de paralisação com grande adesão dos trabalhadores. “A população entendeu que são justas as reivindicações dos servidores”, afirma Júlio Tadeu.
Vale informar que o funcionalismo realiza outro ato nesta segunda-feira (31/03), às 16 horas, em frente à Prefeitura da cidade, que contará com a participação da comunidade.


Greve Geral por tempo indeterminado para o funcionalismo público em Caxambu (27/03/2014)



Greve Geral por tempo indeterminado para o funcionalismo público em Caxambu (27/03/2014)


Greve Geral por tempo indeterminado para o funcionalismo público em Caxambu (27/03/2014)


Greve Geral por tempo indeterminado para o funcionalismo público em Caxambu (27/03/2014)