Palace Hotel - Caxambu

sábado, 29 de novembro de 2014

Auxiliares de serviço e professores se mobilizam contra a terceirização

Na última sexta-feira (28/11) os auxiliares de serviço da educação básica (ASB's) e professores de 6 escolas das cidades de Caxambu e Cruzília se reuniram no Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais - subsede Caxambu - para debaterem o Projeto de Lei 5.591 /14, que pretende  acabar com o cargos de ASB e terceirizar o serviço de limpeza,  merenda e manutenção das escolas estaduais.

Com o sindicato cheio - com destaque para a presença dos colegas de Cruzília -, os trabalhadores puderam debater o que significa esse projeto, que se constitui como um ataque aos direitos dos servidores públicos, conquistados com muita luta ao longo dos anos. Também puderam constatar que a luta contra a terceirização ampla e irrestrita se tornou uma campanha nacional, envolvendo várias categorias, sindicatos, centrais sindicais, movimentos e associações, preocupados com o aumento da precarização, flexibilização e exploração do trabalho alheio.

Também houve a denúncia de tentativa de desmobilização do segmento por parte de alguns indivíduos, que por falta de compreensão da gravidade do problema ou por maldade, tentam desmotivar os ASB's a ingressarem nessa campanha em defesa de seus empregos. Alem disso, debateu-se que se o segmento dos ASB's e a categoria não se mobilizarem, milhares de pessoas ficarão desempregadas, e tantas outras trabalharão de forma precarizada, com direitos flexibilizados.

Ao final, os profissionais reunidos debateram as futuras estratégias para impedir a aprovação e sanção do projeto de lei na Assembleia Legislativa de Minas. Decidiu-se pelo Alerta Geral, mantendo a mobilização e buscando conscientizar e mobilizar os colegas que ainda não tem a clareza do que está acontecendo, por meio do contato direto e pelas redes sociais. Além disso, deliberou por visitas nas escolas da região de Caxambu, Baependi e Conceição do Rio Verde, com equipes compostas de ASB's, professores e diretores do sindicato. Também decidiu-se pela pressão em cima dos deputados com bases em nossa região, a fim de não votarem o projeto de lei. A proposta final aprovada foi aguardar a realização do Conselho Geral do Sind-UTE/MG - que se realizará no próximo sábado - para estabelecer as próximas ações a nível estadual.




Fonte: Sind - UTE Caxambu e Região